Quarta-feira, 27 de Dezembro de 2006

George Jackson

Em 1965, de uma prisão em San Quentin nos Estados Unidos da América, George Jackson, um recluso negro preso por ter roubado 70 dólares de um posto de gasolina, um crime que nunca foi provado, e que no entanto levou a que fosse condenado a prisão perpétua, escrevia:

“ Quando obtiver aquilo de que preciso para trabalhar, nada poderá impedir-me de ir para casa (NT: Africa). É aí que hei-de investir o meu dinheiro, os meus recursos, e talentos. O meu trabalho desenvolver-se-á onde for apreciado. Os meus impostos irão para uma ordem e sistema de governo que, em compensação, me protegerá a mim. Nunca, enquanto me chamar homem, pactuarei com a tirania. Há algumas coisas que para mim significam mais que a vida.”

 

In As cartas de Prisão de George Jackson
PensarCusta às 20:52
Link | sobre isto tenho a dizer que

©

-

-

Apresentação

Explico-me

manifesto

pesquisar custa

 

Pensar Passado

How i feel:

Friendster




Site Meter
Add to Google